Primeira conferência de comunicação e saúde é realizada em Brasília

por
André Bezerra
,
19/04/2017

Pela primeira vez, a comunicação é discutida em uma conferência específica do controle social da saúde no Brasil. A 1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde foi iniciada nesta terça-feira, 18 de abril, em Brasília, e reuniu conselheiros de diferentes instâncias estaduais, municipais e nacionais, além de comunicadores de dentro e fora do Sistema Único de Saúde (SUS), mas, que, em comum, o defendem como um fundamental direito conquistado pelo povo brasileiro.

No primeiro dia de mesas de debate, abertas na quarta-feira, 19 de abril, diferentes abordagens de comunicação foram discutidas. Do ponto de vista do acesso e da oferta, a mesa “Desafios da Comunicação em Saúde”, reuniu debatedoras como Márcia Correa e Castro, do Canal Saúde, e Carmen Lúcia Luiz, Conselheira do CNS e representante da União Brasileira de Mulheres (UBM).

Sessão de abertura da 1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde. Foto: André Bezerra (Ascom - Icict/Fiocruz)

A segunda mesa, que ocorreu em paralelo, debateu a atuação direta dos profissionais de comunicação em diversas frentes, desde a assessoria de comunicação e a comunicação pública, na sessão intitulada “O papel da comunicação na defesa da informação em saúde”. Rogério Lannes, coordenador da revista Radis Comunicação e Saúde, destacou o direito à comunicação. “O acesso à informação apenas não garante o direito à saúde”, ressaltou.

Na mesma sessão, a jornalista e blogueira Cynara Menezes, do site Socialista Morena, abordou a emergência dos meios de comunicação alternativos como contraponto às narrativas hegemônicas no campo político. “Neste momento, há um interesse em  enfraquecer a comunicação alternativa, mas ela está conquistando cada vez mais espaço”, ponderou.

Para ela, o estabelecimento de redes com interesses em comum terá papel fundamental para o fortalecimento de outros pontos de vista. “Não precisamos ter medo das bolhas, e sim utilizá-las em sua capacidade de aproximação, construir redes de contatos entre diferentes perfis de comunicadores e profissionais”, detalhou a jornalista.

À tarde, uma das mesas enfocou as novas mídias, com a presença do ator Gabriel Estrela, que arregimenta muitos seguidores em seu canal Projeto Boa Sorte, onde, com a hashtag #EuFaloSobre, são abordados temas relativos a viver com HIV e aids. “O grande diferencial do Youtube é a questão do engajamento”, destacou o comunicador, que realiza entrevistas com pessoas de diferentes contextos, desde drag queens a profissionais de saúde.

Assim como Cynara Meneses, ele defendeu a importância de as novas mídias e redes sociais possibilitarem novas narrativas, por meio de redes e diálogos. “A gente vive num momento de entrelaçamento de narrativas”, afirmou, destacando a troca de experiências de seu canal com outros comunicadores e influenciadores digitais que se destacam na maior rede mundial de vídeos da internet.

Direitos dos usuários do SUS

Durante a mesa de abertura da conferência, o Conselho Nacional de Saúde realizou o lançamento da consulta pública da nova Carta dos Direitos dos Usuários da Saúde, um instrumento pelo qual o controle social objetiva promover a cidadania entre a população. O ex-ministro da saúde Arthur Chioro apresentou os seis princípios da carta original e defendeu sua relevancia diante da conjuntura atual. “Não lutamos pelo SUS para que ele se resumisse a planos de saúde”, declarou.

A Conferência Nacional Livre de Comunicação e Saúde se encerrará na quinta-feira, após mais uma rodada de debates e uma plenária final entre conselheiros, gestores e comunicadores. Na quinta-feira, o vice-diretor do Instituto de Comunicação e Informação em Saúde da Fiocruz Rodrigo Murtinho será um dos debatedores da mesa “Informação em saúde como direito”.

Comentar

Preencha caso queira receber a resposta por e-mail.

Galeria de fotos

1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde
1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde

Assuntos relacionados

Debates apontam para novas redes de narrativas e de informação sobre o SUS

Encerramento da 1ª Conferência Nacional Livre de Comunicação em Saúde se debruçou sobre o preconceito sobre o SUS e desafios atuais

Divulgada carta com propostas para Conferência Nacional de Comunicação em Saúde

Documento foi elaborado colaborativamente por participantes de evento preparatório sediado na Fiocruz

Pré-conferência aponta urgência de aprofundar o debate sobre o direito à comunicação como essencial à saúde

Evento realizado na Biblioteca de Manguinhos teve lançamento da Política de Comunicação da Fiocruz

Para saber mais

Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz)
Av. Brasil, 4.365 - Pavilhão Haity Moussatché - Manguinhos, Rio de Janeiro
CEP: 21040-900 | Tel.: (+55 21) 3865-3131 | Fax.: (+55 21) 2270-2668

Este site é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.

O conteúdo deste portal pode ser utilizado para todos os fins não comerciais, respeitados e reservados os direitos morais dos autores.