Em editoral, Reciis propõe agenda racial de pesquisa em informação e comunicação em saúde

por
Reciis (Divulgação)
,
01/12/2023

Arte: Marcelo Cruz, Luciana Rocha Clua (Multimeios/Icict/Fiocruz) | Freepick

A Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde (Reciis) relançou no mês da Consciência Negra (novembro), o editorial  "Por  uma agenda  racial  de  pesquisa  em informação  e  comunicação  em  saúde", publicado na edição v. 17, n. 3 (julho-setembro/23).

Escrito a quatro mãos por Igor Sacramento, Kizi Mendonça de Araújo, Christovam Barcellos e Léa Camila de Souza Ferreira, que integram a equipe do periódico, o editorial traz reflexões e aponta os desafios para a sociedade brasileira, pesquisadores, gestores e editores ao debater o tema. Alguns dos trechos estão aqui:

"Enfrentar essa carência [a de tratar a questão racial em sua relação com a comunicação e informação em saúde, na produção científica] é assumir a necessidade da adoção de estratégias editoriais específicas, e eficientes, capazes de promover e suscitar a submissão e o acolhimento de propostas voltadas à racialização dos processos da comunicação em saúde, uma vez que a  fratura histórica e institucional que foi, e continua sendo cotidianamente construída não será sanada sozinha, nem tampouco sem empenho. [...]

No campo da comunicação científica, urgem práticas e políticas editoriais que considerem questões raciais de seus integrantes. Voz e raça passam negligenciadas durante o processo. A ausência de estratégias para a captação de dados e o acolhimento de sujeitos subalternizados e/ou esquecidos pelas políticas e sistemas públicos limita nossa capacidade de estimar a dimensão do panorama racial na análise de saúde. A inclusão desses fatores deve se dar não como informações adicionais sobre indivíduos, mas como critérios básicos que contribuam para estabelecer análises complexas de situações de saúde e, particularmente, de desigualdades sociais em saúde e da produção de conhecimento em saúde. 

Diante da compreensão de que as políticas públicas devem atender aos cidadãos, garantindo-lhes a efetivação dos valores democráticos e o exercício pleno da cidadania, desejamos por meio deste editorial provocar pesquisadores (nossos leitores) para que incluam em suas pesquisas e publicações os objetivos de produzir estudos  analíticos  que  considerem  a  racialização  das  desigualdades,  e  possam  fornecer  subsídios  à formulação de políticas públicas de saúde da população negra."

Para ler o editorial na íntegra, clique aqui ou no link: https://bit.ly/reciis-edital-consciencianegra

Sobre a Reciis

A Reciis é um periódico interdisciplinar trimestral de acesso aberto, revisado por pares e sem ônus para o autor. Recebe textos em fluxo contínuo e a partir de chamadas públicas para dossiês temáticos. Publica textos inéditos de interesse para as áreas de comunicação, informação e saúde; em português, inglês ou espanhol.

Acompanhe o periódico pela página do Facebook (ReciisIcictFiocruz), pelo perfil do Instagram (@reciis_fiocruz) e pelo nosso podcast Revozes: https://bit.ly/PodcastRevozes  

Dúvidas? Escreva para o e-mail: reciis@icict.fiocruz.br 

A Revista Eletrônica de Comunicação, Informação e Inovação em Saúde (Reciis) é editada pelo Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz (Icict/Fiocruz).

Comentar

Preencha caso queira receber a resposta por e-mail.

Assuntos relacionados

Reciis lança chamada para dossiê sobre o conceito de interação e saúde

O prazo de envio de artigos originais vai até o dia 20 de fevereiro

Para saber mais

Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz)
Av. Brasil, 4.365 - Pavilhão Haity Moussatché - Manguinhos, Rio de Janeiro
CEP: 21040-900 | Tel.: (+55 21) 3865-3131 | Fax.: (+55 21) 2270-2668

Este site é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.

O conteúdo deste portal pode ser utilizado para todos os fins não comerciais, respeitados e reservados os direitos morais dos autores.

logo todo somos SUS