Programa de Vocação Científica conta com equipe da PCDaS entre os orientadores

por
Nelson Niero Neto (PCDaS/LIS/Icict)
,
29/11/2023

Desde 1986, o Programa de Vocação Científica (Provoc), iniciativa da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), aproxima alunos da rede de Ensino Médio da cidade do Rio de Janeiro à rotina de pesquisadores. Por meio da iniciação científica, os participantes interagem com doutores e mestrandos da área da saúde, que atuam como orientadores e co-orientadores.

Em 2024, dois integrantes da equipe da Plataforma de Ciência de Dados aplicada à Saúde (PCDaS) farão parte deste time. Marcel Pedroso, pesquisador e coordenador da Plataforma, e Balthazar Paixão, pesquisador em engenharia de dados, vão orientar Ana Clara de Souza Cabral, estudante do bairro da Maré. 

Ex-aluno agora é membro da PCDaS e co-orientador

Para Balthazar, a experiência será muito especial. É sua primeira vez como co-orientador do Provoc, mas, para ele, o programa já é um velho conhecido. Quando era estudante no Ensino Médio, participou da iniciação científica e foi orientado por Marcel.

“O Provoc e a orientação do Marcel têm total influência no que sou hoje: engenheiro de dados, mestrando e integrante da PCDaS”, diz Balthazar. “Quando penso que serei um co-orientador do programa, fico refletindo sobre essa importância. Vou orientar uma pessoa que está no Ensino Médio, um momento em que o aluno pode estar confuso e sem certeza do caminho que deve seguir”. 

No programa, coordenado por docentes da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV), os alunos entram em contato com conhecimentos técnicos e científicos a partir da experimentação de práticas de pesquisa. Assim, podem se familiarizar com a rotina de um pesquisador da área da saúde. 

“Essa experiência me deu muita estrutura. Cheguei na faculdade, por exemplo, já com muitos conhecimentos de dados e programação”, lembra Balthazar. “É possível que o participante não se identifique com o mundo da pesquisa, mas entender como esse universo funciona pode ajudar a tomar decisões em um momento delicado de sua formação e de sua vida”. 

Balthazar lembra que o Provoc acontece durante a adolescência e o Ensino Médio, um período muitas vezes conturbado, às vésperas dos vestibulares, quando os estudantes precisam fazer escolhas importantes. “O Provoc ajuda o aluno a entender o que ele quer. Mas mais do que isso, a coordenação do programa tem um papel fundamental nesse processo, que eu chamaria de ‘orientação de vida’. É um trabalho humanizado, que acolhe o estudante”.

Crédito: Ana Clara de Souza Cabral e seu orientador, Balthazar Paixão (Foto: PCDaS Divulgação)

PCDaS como objeto da pesquisa

Ana Clara terá a própria PCDaS como objeto de pesquisa. Para Balthazar, será possível mostrar como a Plataforma funciona e abordar aspectos da engenharia e análise de dados. “A área da saúde é muito ampla. O projeto não precisará, necessariamente, ficar fechado em um tema. Haverá espaço para crescer”, diz. “Para completar, além de mim e do Marcel há uma equipe completa que Ana Clara poderá contar”.
 

Comentar

Preencha caso queira receber a resposta por e-mail.

Assuntos relacionados

Gestão de dados do transporte público é tema de seminário sediado pelo Icict

Seminário Regional de Gestão de Dados em Mobilidade Urbana acontece nos dias 4 e 5/11, no Salão de Leitura da Biblioteca de Manguinhos. Inscrições abertas

Para saber mais

Instituto de Comunicação e Informação Científica e Tecnológica em Saúde (Icict/Fiocruz)
Av. Brasil, 4.365 - Pavilhão Haity Moussatché - Manguinhos, Rio de Janeiro
CEP: 21040-900 | Tel.: (+55 21) 3865-3131 | Fax.: (+55 21) 2270-2668

Este site é regido pela Política de Acesso Aberto ao Conhecimento, que busca garantir à sociedade o acesso gratuito, público e aberto ao conteúdo integral de toda obra intelectual produzida pela Fiocruz.

O conteúdo deste portal pode ser utilizado para todos os fins não comerciais, respeitados e reservados os direitos morais dos autores.

logo todo somos SUS